Seguidores

VAMOS FILHO?!


"Vamos, Filho?!"

Dia desses, fiquei encantado com uma cena que presenciei. Estavam próximos a mim um homem e sua noiva, uma jovem viúva, mãe de um menino que também estava com eles, e cujo pai já há alguns anos falecera. A certa altura, o homem referiu-se à criança chamando-a assim: “Vamos, filho?!”. E ele foi. Emocionei-me. Enquanto os três saíam do recinto com a naturalidade típica das famílias, um filme passava em minha mente. Lembrei-me daquele jovem que havia partido. Circunstâncias da vida privaram-lhe de se manter pai daquele pequeno garoto, na época ainda um bebê.
Naquele momento, na condição de testemunha silenciosa de uma cena que mal durou alguns segundos, enchi minha alma de gratidão a Deus pela adoção. Bendita seja a escolha que cabe a cada um de nós de sermos ou não bem-aventurados. De segurarmos as rédeas do nosso futuro e assumirmos a autoria da nossa própria felicidade. Agradeci. Agradeci e pensei em quão maravilhoso é perceber que é tão somente na convivência afetiva que construímos nossa parentalidade! 

“Vamos, filho?!”
Pensei em quão maravilhosa é a adoção. “Homem” e “criança” são conceitos absolutos: existem em si mesmos. “Pais” e “filhos” são conceitos relativos: um só existe por causa e a partir do outro. Ninguém pode ser pai ou mãe sem a existência de um filho ou filha e vice-versa.
Por isso, não é possível adotarmos crianças. Adotamos filhos. Porque é na adoção que pais e filhos se realizam, ou seja, passam a existir um por causa do outro. Como diz a médica e psicanalista francesa Francoise Dolto, “o ser humano, fisicamente, é um mamífero; e, psiquicamente, é um ser de filiação linguística e, portanto, de adoção”.
Lembrei-me de quantos arrastam por aí a frustração de uma paternidade ou maternidade não realizada por suporem que só pela gestação podem se tornar pais ou mães. Que tolice! Até quando acharão que a filiação se estabelece na herança genética? Quantos mais exemplos de desamor precisarão ainda testemunhar em meio aos laços da consanguinidade?
Não é possível adotarmos crianças. Adotamos filhos. Porque é na adoção que pais e filhos se realizam, ou seja, passam a existir um por causa do outro.
Há quem diga “Não posso ser mãe”, “Não posso ser pai”. Errado! Talvez não possa engravidar. Mas pode ser mãe ou pai, sim! Basta querer e ter disponibilidade para amar. Até porque se engravidar e não tiver amor, também não será mãe nem pai. Como já dissemos, a gestação é apenas um ponto de partida: nem imprescindível, nem suficiente. A filiação é a aceitação recíproca a um convite de profunda amorosidade.
“ Vamos, filho?! ” continuava a frase em minha mente. Que coisa tão simples e linda! No convite amoroso, o exemplo singelo do fazer-se pai. Na aquiescência espontânea do menino, o fazer-se filho. Convite aceito, adoção realizada. Simples assim.
Depois daquela cena, ao chegar em casa senti-me ainda mais feliz por estar com minha família, estabelecida totalmente através da adoção, desde a adoção que minha esposa e eu realizamos um com o outro.
Lembrei-me novamente do jovem pai que se fora tão cedo. No silêncio da minha emoção, desejei que ele estivesse em paz. E entendi que se eu estivesse em seu lugar, boa parte da paz que eu poderia ter certamente adviria do fato de meus filhos serem amados.
“Vamos, filho?! Vamos, pai!”

GUILHERME LIMA MOURA
é pai adotivo, integrante do Gead (Grupo de Estudos e Apoio à Adoção do Recife) e professor da UFPE

 
 

47 comentários:

  1. Bom dia Zilda!

    Belo texto! Adotar acima de tudo é um ato de amor pleno.

    Tenha um fim de semana iluminado de amor!

    Bjosssssssss

    ResponderExcluir
  2. Como venho de uma família que teve muitos filhos naturais e dentro da família existem pessoas que foram adotadas, nem estranho muito sabe? É comum em nossa familia termos filhos, sejam adotivos, sejam animais, sejam naturais. Somos pais e mães, avós, tios, e cuidamos uns dos outros como se fossemos pais e filhos. Quando estou na rua com meus sobrinhos e irmãos, ao atravessar, chamo-os de filhos.
    Acredito que a família tem que ser aconchegante. Trazer para dentro. Ter esta ideia de adoção, onde todos pensam somente em serem felizes e não julgar "certo ou errado" de acordo com o sistema estabelecido.Ser humanitária. E sem preconceitos. Parece utopia? Começa quando somos sinceros e falando sobre todos os assuntos.

    ResponderExcluir
  3. Olá Zilda!
    O texto é lindo. Mostramos para nossa mãe que é adotada, ela ficou bastante emocionada.
    Beijos!!!

    ResponderExcluir
  4. Que texto espetacular! Emocionada e encantada com tudo. Beijos

    ResponderExcluir
  5. O amor nos proporciona a escolha do ser. Ser mais.
    Uma história que emociona Zilda, que faz refletir.
    Bom final de semana minha querida amiga.
    Xeros

    ResponderExcluir
  6. Bom dia Zilda!

    Belíssimo texto e muito obrigada por compartilhar esse exemplo de mudança em nossos corações.
    O Guilherme é uma pessoa abençoada.
    Xerokas fraternas e um lindo fim de semana.
    Go

    ResponderExcluir
  7. Sou mãe biológica e adotiva, peguei um bebê recém nascido encontrado dentro d'um saco plástico,está com 36 anos. Não vi diferença entre ele e os demais a não ser características físicas. bjs e lindo final de semana.

    ResponderExcluir
  8. nossa k texto lindo eu sou filha adotada sim e sou muito feliz,há pouco tempo também venho pensando em adotar mas o meu marido não esta querendo.to pensando muito nisso pois tive 2aborto espontaneo e to com medo de não poder ser mãe...mas o que deus reservar pra mim eu aceito.ou ser mãe natural ou mãe adotiva que seja feita a vontade dele .amém

    ResponderExcluir
  9. Zilda adorei este texto passa uma mensagem positiva, nos lembrando o valor da família e da adoção com amor, parabéns e já votei no nosso Chico, beijos Luconi

    ResponderExcluir
  10. Zilda,

    Lindo texto, nos faz refletir como o amor em uma família é importante para uma criança independente se a mesma é ou não filho adotivo.

    Bjs

    ResponderExcluir
  11. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Zilda.

      Quebrando minha própria regra, tenho de comentar esta sua postagem.

      Para mim que acabei de adotar um serzinho todo carente, este texto é um banho na alma.

      Grata, e que D'us a abençoe!

      Excluir
    2. Obrigada por quebrar a regra.Bjsss

      Excluir
  12. Nossa Zilda vc é d+ com esses textos que nos faz refletir bastante. Lí alguns comentários e fiquei muito feliz! E a moça que já teve 2 abortos não desista, Deus está trabalhando no seu útero e vc vai ter um bebê muito lindo sim, aguarde sem ansiedade. Não sou vidente não, viu!!! rsrsr.

    beijos

    Jaque

    ResponderExcluir
  13. Lindo texto Zilda, sou adotada e tenho muito carinho pela minha família, já estou seguindo!!

    ResponderExcluir
  14. Olá... muito bonita a mensagem.. Também sou adotada, tenho duas irmãs que também foram adotadas de famílias diferentes.... Mas nos amamos com tanta intensidade que parece que somos trigêmeas.... apesar das diferenças de idades e físicas...
    A alma identifica as irmãs espirituais, e é ela que estreita os laços com quem amamos verdadeiramente...
    Estou seguindo.. se puder dá um pulinho no meu blog: pontosperfeitos-ju.blogspot.com.br. Trabalho com ponto cruz e acabei de montar meu blog.. será um prazer sua visita... bjos

    ResponderExcluir
  15. Olá, querida Zilda
    Obrigada por ter participado hoje da Série Comemorativa do meu Blog...
    Tenho vários familiares na família... todos como se fossem filhos...
    Deus te cubra de bênçãos e te faça feliz!!!
    Bjs festivos de paz

    ResponderExcluir
  16. Ser pai ou mãe é simplesmente saber amar, beijo Lisette.

    ResponderExcluir
  17. Oi querida, obrigado por visitar e seguir o Arte de educar, amei seu cantinho, estarei sempre aqui, já estou te seguindo também. Bjos!

    ResponderExcluir
  18. Olá, retornando sua visita http://www.madebyfulvia.blogspot.com.br/ concordo com a situação do código de verificação.... já estou seguindo. Fúlvia http://www.madebyfulvia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  19. Lucas Durand.
    Parabéns pela linda postagem e abordagem do assunto.
    Um grande abraço

    ResponderExcluir
  20. Lindo texto e concordo que todos podem ser pais ou mães.Basta te amor pra dividir...beijos,linda semana!chica

    ResponderExcluir
  21. Lindo texto. Só se consegue ser pai ou mãe, verdadeiramente pelo coração.
    Maravilhosa a frase inicial...
    Beijos. Obrigado pela visita. Fiquei feliz.

    ResponderExcluir
  22. Uma postagem que nos toca a alma!!
    Abraços e muito carinho para si, minha amiga!!!

    ResponderExcluir
  23. Esse texto me emocionou. Fiquei pensando o profundo amor que deve unir os seres que se adotam e que, como diz o texto, adoção a um adotar o outro como parte de sua vida. Lindíssimo! Muita paz!

    ResponderExcluir
  24. Olá, Zilda!
    Aproveitando a temática tão bonita de seu post, quero compartilhar um caso de uma amiga, que me emocionou muito. Ela teve uma filha, numa gravidez bem difícil e os médicos não recomendaram uma segunda gravidez.
    Ela e seu marido resolveram adotar e entraram na fila de espera. Um belo dia toca o telefone informando que uma criança de 2 meses fora deixada numa maternidade com graves problemas de saúde, internada desde o nascimento. O Serviço de adoção pergunta à minha amiga se desejava ver o bebê. Minha amiga responde que não, que iria buscá-la, porque a criança não era um produto numa vitrine para ser avaliada. E assim foi feito e esse menino hoje é um adolescente, que até se parece muito com seu "pai".
    Tenha um ótimo domingo!

    ResponderExcluir
  25. Zilda, só o amor pode explicar! Emocionada lembrei a "partida" do pai da minha filha quando ela tinha 2 aninhos! Hoje é dia dos Pais, que todos os Pais tenham o amor e o carinho dos filhos, onde quer que se encontrem! Muita luz e tenha uma semana feliz!

    ResponderExcluir
  26. Zilda, muito bom e lindo este texto do professor Guilherme Moura. Fiquei emocionada! Temos amor para ser doado, dividido, compartilhado! Por que não adotar? Beijos!

    ResponderExcluir
  27. Zilda, minha querida, que belo post, que belo texto, que belas palavras! Amei! Obrigada por compartilhar!
    Beijo, beijo!
    She

    ResponderExcluir
  28. Olá Zilda, que beleza de reflexão! A adoção seria uma brilhante solução para melhorar a situação do ser humano. Gostei imenso de sua frase na festa da Rosélia. Obrigada pela partilha! Abração!

    ResponderExcluir
  29. Zilda adorei sua contribuição na Série comemorativa da Rosélia!
    bj carinhoso
    Sandra
    http://projetandopessoas.blogspot.com.br//

    ResponderExcluir
  30. Oi amiga!
    Que maravilha este texto, tocou lá fundo. Vim parabenizar você pela participação na séria comemorativa da amiga Rosélia, lindo nossos presentes!Linda sua frase!Bjs, Ieda.

    ResponderExcluir

OBRIGADA POR SEU COMENTÁRIO,SE ACHAR QUE VALE A PENA COMPARTILHE EM SUAS REDES SOCIAIS.
GRANDE BEIJO!!!

AZUL

AZUL

PERNAMBUCO

PERNAMBUCO
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

QUER PERSONALIZAR SEU BLOG?CLIQUE NO SELO E FALE A MERI!!!!