Seguidores

A DOR QUE DÓI MAIS

A DOR QUE DÓI MAIS

Martha Medeiros

Trancar o dedo numa porta dói. Bater com o queixo no chão dói. Torcer o tornozelo dói. Um tapa, um soco, um pontapé, dóem. Dói bater a cabeça na quina da mesa, dói morder a língua, dói cólica, cárie e pedra no rim. Mas o que mais dói é saudade. Saudade de um irmão que mora longe. Saudade de uma cachoeira da infância. Saudade do gosto de uma fruta que não se encontra mais. Saudade do pai que já morreu. Saudade de um amigo imaginário que nunca existiu. Saudade de uma cidade. Saudade da gente mesmo, que o tempo não perdoa. Dóem essas saudades todas. Mas a saudade mais dolorida é a saudade de quem se ama. Saudade da pele, do cheiro, dos beijos. Saudade da presença, e até da ausência consentida. Você podia ficar na sala e ele no quarto, sem se verem, mas sabiam-se lá. Você podia ir para o escritório e ele para o dentista, mas sabiam-se onde. Você podia ficar o dia sem vê-lo, ele o dia sem vê-la, mas sabiam-se amanhã. Mas quando o amor de um acaba, ao outro sobra uma saudade que ninguém sabe como deter. Saudade é não saber. Não saber mais se ele continua se gripando no inverno. Não saber mais se ela continua pintando o cabelo de vermelho. Não saber se ele ainda usa a camisa que você deu. Não saber se ela foi na consulta com o dermatologista como prometeu. Não saber se ele tem comido frango assado, se ela tem assistido as aulas de inglês, se ele aprendeu a entrar na Internet, se ela aprendeu a estacionar entre dois carros, se ele continua fumando Carlton, se ela continua preferindo Pepsi, se ele continua sorrindo, se ela continua dançando, se ele continua surfando, se ela continua lhe amando. Saudade é não saber. Não saber o que fazer com os dias que ficaram mais compridos, não saber como encontrar tarefas que lhe cessem o pensamento, não saber como frear as lágrimas diante de uma música, não saber como vencer a dor de um silêncio que nada preenche. Saudade é não querer saber se ele está com outra, e ao mesmo tempo querer. É não querer saber se ela está feliz, e ao mesmo tempo querer. É não querer saber se ele está mais magro, se ela está mais bela. Saudade é nunca mais saber de quem se ama, e ainda assim, doer.

12 comentários:

  1. Pegue um sorriso
    E doe-o a quem jamais o teve.
    Pegue um raio de sol
    E faça-o voar
    Lá onde reina a noite.
    Descubra uma fonte
    E faça banhar-se
    Quem vive no lodo.
    Pegue uma lágrima
    E ponha-a no ânimo
    De quem não sabe lutar.
    Descubra a vida
    E narre-a a quem não sabe entende-la.
    Pegue a esperança
    E viva na sua Luz.
    Pegue a bondade
    E doe-a
    A quem não sabe doar.
    Descubra o AMOR
    E faça-o conhecer o mundo.

    (Mahatma Gandhi)

    Desejo um lindo final de semana com muito amor e carinho...
    Abraços Eduardo Poisl

    ResponderExcluir
  2. Saudade são sete letras
    que nos dilaceram
    é de uma dor que corre
    por todo o corpo e fica

    sim fica encravada na alma
    saudade são sete letras
    que nenhum remédio acalma
    ela as vezes se instala de tal maneira

    nos acostumamos a ela sim faz parte
    então lembramos de todas nossas artes
    aquela arvore onde aconteceu na praça

    nosso primeiro beijo meio sem graça
    por isso saudade que nosso peito invade
    por mais dura que seja nos traz a realidade.

    Antonio Campos 13/06/09.

    ResponderExcluir
  3. Que maravilha!Obrigada Eduardo pela presenã e pelo presente.Bjs no coração.

    ResponderExcluir
  4. Grade poeta gaúcho!!!!!!!!!!!!!Sempre inspirado!
    Lindo poema.Obrigada e um grande beijo.

    ResponderExcluir
  5. Mariano Pereira de Sousa
    para mim

    Que texto verdadeiro Zilda!
    E querendo ou não todos nós passamos ou um dia vamos passar por situação com o essa!
    Até para a vida ganhar mais sentido, pois essa saudade apesar de doer ela é boa!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  6. Lendo esse texto até me deu uma saudadde!!!
    Abraços amiga!!

    ResponderExcluir
  7. Pois é isso mesmo, Zilda.
    "A saudade dói como um barco/Que aos poucos descreve um arco/E evita atracar no cais" (Chico, Pedaço de Mim)
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Muito bom João!!!Obrigada pela presença.Beijo.

    ResponderExcluir
  9. Zilda, muitas vezes, porém, a saudade também pode representar uma cura.
    Bela postagem.
    Um grande beijo!

    ResponderExcluir
  10. Valeu Dalton!Deus te ouça.Beijo no coração.

    ResponderExcluir

OBRIGADA POR SEU COMENTÁRIO,SE ACHAR QUE VALE A PENA COMPARTILHE EM SUAS REDES SOCIAIS.
GRANDE BEIJO!!!

AZUL

AZUL

PERNAMBUCO

PERNAMBUCO
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

QUER PERSONALIZAR SEU BLOG?CLIQUE NO SELO E FALE A MERI!!!!